domingo, janeiro 3

ping, ping, ping...

Hoje convinha-me um radioso e longo dia de sol, daqueles que convidam a sairmos de nós, os olhos postos na natureza, coração aberto, esperança bebida no cântico dos pássaros!
Mas não... um longo dia dos mais longos dias curtos de Inverno, em que a chuva parece mais molhada e insistente, o cinzento do céu mais abrangente, escurecendo-nos por dentro, invadindo-nos as entranhas com as suas humidades , o vento forte vai varrendo qualquer ideia mais leve que se tente instalar... o ar denso e pesado a cansar os ombros e a alma.
Pode ser que o mundo à minha volta esteja ainda mais triste, pobre ou infeliz do que eu e este meu sentir caprichoso... mas esta saudade de me deitar na relva seca, pedindo a uma árvore que me abrigue na sua sombra para que goze melhor ainda os raios quentinhos do sol torna-se obsessiva num dia como um dos mais longos curto dia de Inverno!
Gosto das estações do ano... de todas... mesmo quando trazem nos seus dias extremos e excessos que lhes sejam próprios, levando-me a esquecer como elas passam por nós voando e outros dias, com diferentes caminhos para o meu sentir se vão substituindo, uns atrás de outros, deixando marcas profundas... ou nem tanto... no meu humor!


Quem me dera o sol por dentro, sentir o apelo da natureza, contar-lhe de mim e vê-la alheia a coisas miúdas, migalhas dos meus caprichos, persistindo na renovação, indicando-me o caminho.
Tem dias em que até as sementes bem guardadas no fundo de mim se enchem de mofo e tristeza, parece-lhes que nunca mais vai chegar o dia de irem a fruto, a flôr, e é nesses tristes dias curtos de sol e longos de escuridão que eu fecho os olhos para sonhar que estou na areia, na relva, no chão... e sinto aquele calorzinho que me dá a vida, a aquecer-me , por dentro, por fora, até que o dentro e o fora são UM só e aí lembro-me... pois se isto é assim todos os anos... ainda não te habituaste?... e como dizes tu que gostas das estações do ano se o pingo do inverno te deixa sem cor e com os excessos do Verão te derretes?

Não era este o post com que gostaria de interromper um interregno que já vai longo, não sei se já deu para repararem, é que está mesmo de chuva, é INVERNO a doer... mas do mal o menos... o Natal já lá vai e um Ano Novo bom para todos nós é o que peço à chuva, ao frio e ao vento!

2 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

Que a escuridão dos dias de chuva dêm lugar a estes belos dias de sol, mas frios quanto baste para nos fazer lembrar que o Inverno é para curtir as peles enegrecidas dos raios do Verão.
O corpo habitua-se ao cadenciar das estações, mesmo que, (é o meu caso), não suporte o Inverno, mas o mais engraçado é que suporto melhor o frio do que o calor.
O humor também emudece e a vida corre mais lentamente ... nunca mais é Primavera!
É sempre boa altura para desejar que o 2010 seja um pouco menos mau do que o 2009.
E que a 31 de Dezembro aqui estejamos a "falar".
Um bom ano.

xistosa - (josé torres) disse...

Passei para ver se o "ping, ping, ping ... já "era".
Como a chuva abrandou ...

Cumprimentos.

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...