quinta-feira, abril 7

Ai Portugal, Portugal, de que é que tu estás à espera?

Os mercados internacionais andam nervosos porque Portugal está um LIXO,

Sócrates afiança que estava tudo bem não fosse o tal PEC que deu barraca, e se ele é bom a afiançar.....

A mim parece-me que com transparência na gestão dos bens comuns e distribuição de riqueza mais equilibrada já tinhamos meio caminho andado!

Cargos políticos só nos partidos, lá dentro de portas para quem deles sente falta e cargos públicos ocupados por gente profissionalmente capaz, adequada às funções para que lhes pagamos. Já estavamos num bom caminho.

Apurar responsabilidades e abolir a impunidade também faz falta. Um bocado!

Fazer silêncio, calar o PS, que nem devia ter direito à palavra, e dizer ao PSD e ao Passos Coelho para arrancar o babete, largar os talheres e tirar os olhos do bife que nada está garantido;

assim como o povão elegeu, num concurso para encontrar novos talentos, um jovem que tudo o que tem para nos oferecer é a poesia, porque não acreditar que os portugueses saberão reconhecer talento para nos governar se se chegarem à frente talentosos potenciais governantes, movidos pelas melhores intenções, que devem, seguramente, ter nascido entretanto.

30 anos é já uma vida... e se não lhes escapou a atenção, sabem que temos sido governados por gente que se governa e desgoverna Portugal... de tanto se fartarem e abusarem deixaram nos ficar um LIXO.

Viver para ver, para aprender, talvez para surpreender!

5 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
xistosa - (josé torres) disse...

Parece-me que tenho estado ausente.
Não é menosprezar as pessoas, mas não sei... há locais que me passam quando olho no meu blog os "amigos".
Mas como não morri, aqui estou.
Por sinal foi um dia bem positivo para mim.
Andam para aí a dizer que o FIM, o FMI, ou lá como lhes chamam aos novos usuários, vêm cobrar...
Passei a pente fino a minha economia particular e... parece mentira, mas não devo nada a ninguém.
Salvo três litros de vinho que foram para amparar ontem, no estômago, um naco de presunto e broa, num tasco perto de casa.
De resto não devo nada e nada tenho a pagar, aliás como já desconfiava.
Também não contraí nenhum empréstimo a quem quer que seja.
Portanto que venham eles e em força.
Não nos têm explicado, mas penso que este alarido todo é para a nossa banca que se locupletou com os milhões do BCE à taxa de 1% e emprestou esse mesmo dinheiro ao governo a 5%.
Agora estão na bancarrota.
E não pagaram impostos, coitados.
Certamente não pagaram aos "patronos" desses milhões.
Nem todos foram para o governo.
Muitos estão naquelas ilhas selvagens que possuem cofres para guardá-lo, como as Ilhas Caimão e outros paraísos; como em S. Tomé e Príncipe, estes "guardados" por Dias Loureiro e muitos outros; foram "investidos" pelos governantes e oposição, que nestas coisas de negócios somos todos de carne e osso e não há discrepâncias de ideologias.
Muitos mais foram desbaratados, digo investidos em bancos e empresas de amigalhaços, as amizades são coisas que não se podem perder e devem ser bem adubadas.
Como toda esta cambada política tem-se portado bem, em Junho, vão ter novo voto masoquista do povo português.
Agora diga-me lá se não tenho razão quando digo:
A ARMA É O VOTO DO POVO!!!!!!!!!!!!!!

Um bom domingo.

inespimentel disse...

José Torres, bem vindo!
Fui ao seu Inséte deixar um comentário mas fiquei na dúvida se consegui...tudo por aqui, neste bairro virtual, tem estado a mexer, a salada já tem "face" e outros desvios que ainda desconhecia. Numa outra fase tenho de perder um tempinho a actualizar me.
Mais uma vez agradeço o comentário pertinente, lúcido, cheio de garra... e de gana!

Um brasileiro disse...

ola. tudo blz? estive aqui. interessante. apareça por la. abraços.l

cabellohermoso.bloges.org disse...

cabellohermoso.bloges.org

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...