segunda-feira, novembro 24

Ciência, fé ou convicção

Existe um mundo real há minha volta, posso vê-lo, explicá-lo, entendê-lo.
Tudo o que está para lá deste mundo vai depender da minha fé, das minhas convicções!
Os homens da ciência tentam demover, com os seus brilhantes estudos, as gentes crentes da sua louca entrega a algo de que não se pode comprovar a existência... podem desistir, porque a fé é... eu diria, uma luz, que se acende porque sim e não se apaga porque não!
Não tentem explicar, provar, argumentando até à exaustão, porque de uma coisa podem estar certos... nem tudo tem lógica, nem tudo tem explicação, a fé é um dado que se adquire sem que isso dependa de nós... ou se tem ... ou não!
Há quem acredite que os homens de fé sofrem de uma limitação, uma espécie de burrice voluntária, mas não não é uma limitação, nem uma burrice... muito menos é um acto voluntário!
Falo da fé, não das mentalidades beatas que agem como carneiros obedientes a mando dum pastor!
Essa fé que nos põe em ligação directa com o tal mundo que não se explica, iluminado por essa tal luz sem nome, mas, para quem tem fé, isso não é relevante... quando me encontro nessa dimensão sinto-me feliz e acompanhada... quanto ao resto nem preciso de saber mais nada.
Deixem-me aqui no meu cantinho, não me tentem explicar porque eu farei o mesmo, cada um com as suas fés, as suas convicções...

14 comentários:

Bartolomeu disse...

Contudo, e com base na magnânima concssão do livre arbítrio, cada um tem liberdade para construir a sua fé. Dizes que se nasce ou não com fé, contudo nasce-se ainda sem conhecer a a sensação de acreditar, mas ao mesmo tempo que se toma consciência do mundo e de tudo aquilo que o compõe, adquire-se uma vontade forte de atingir esse estado que referes e que relaciono com um estado de sintonia com o universo.
Mas... acreditar mesmo, sem saber é algo transcendental e que por vezes exige que se trilhe um longo e difícil caminho.
Afinal, acabei por te aborrecer sem querer, Inês.
;)

claras manhãs disse...

Se o Bartolomeu deixar, faço, também, minhas as suas palavras.
Estar em sintonia com o Universo, é para mim, uma das melhores formas de sentir a Fé.
O último período do teu comentário, Bartolomeu, tocou-me fundo.

beijinho aos dois

claras manhãs disse...

Preciso do teu mail, se não te importares, para te mandar o Universo visto pelo Hubble.
Vem mesmo a calhar depois deste post.
marta818@gmail.com

inespimentel disse...

Respondo também aos dois, já agora...
A fé pode de facto nascer connosco mas a minha nasceu em mim, depois dos quarenta, e não veio ao encontro duma procura consciente, é fruto dum contacto próximo com a natureza... foi-se assim "entranhando"...
É um assunto muito íntimo, não costumo partilhar e sobretudo não pretendo convencer ninguém... até porque isso seria impossível!

inespimentel disse...

Bartolomeu
PS aborrecer?... nada... eu gosto mesmo é que comentem!

inespimentel disse...

Marta:
o meu email
inespimentel1@hotmail.com

Siala ap Maeve disse...

A fé é algo muito...âmbiguo. É da mesma familia que outras palavras quase banidas e tantas vezes mal vistas...como humildade, compaixão, condescendência...etc.
A verdade é que se não houvesse fé, tão pouco existiria ciência. A capacidade de acreditar em conceitos, ideias, coisas não visiveis e não pálpaveis. A curiosidade de tentar descobrir mais. A certeza que há algo, mesmo quando outros dizem que não. A vontade de o provar. Coisas que nos parecem altamente improváveis até alguém ter a ousadia de provar a sua probabilidade... :) Quantos avanços na ciência não vieram da fé quase cega em algo que se sabia e sentia ser verdade, mesmo quando o resto do mundo gritava que não?
Serão a cência e a fé coisas separadas, ou faces de uma mesma moeda? Uma que explora o interior, a outra que explora o exterior...das duas, digo eu, nascerá o equilibrio. Um dia...quando deixarmos de sermos miseras criaturas aprisionadas nas dualidades que encaramos como rivalidades, e não como os remos que nos levarão a navegar outras águas mais pacificas.
Beijos meus ;)

Bartolomeu disse...

A imagem que a Siala da (Rainha-Loba) apresenta, é fantástica no seu conjunto e enquadra-se perfeitamente no espírito da cultura Celta.
A nave azul... vou reflectir bastante acerca deste conceito...

Anónimo disse...

Pois, é como o amor, ou como a meditação ... não se deixa apanhar pelo arquivo da cuca e portanto não pode entrar de fora para dentro! b@@@@@js
Graça

inespimentel disse...

A Siala tem sempre palavras muito sábias para nos elevar o espírito!
Já disse anteriormente, é uma alma "velha"!
... e sim, a ciência e a fé andam de braço dado a cumprir a difícil tarefa de dar respostas às nossas dúvidas!
Também eu gosto do significado de palavras como humildade e compaixão... e não quero saber que mau uso lhes têm dado!

direitinho disse...

Boa Noite
Gostaria de explicar porque tenho fé mas não sei.
Agradeço aos meus pais que desde pequenino me ensinaram a amar a Deus e ao próximo. Fazer bem e nunca os envergonhar pelo meu comportamento menos correcto.
Quando vou à Igreja agradeço a Jesus por me ter convidado a entrar e a poder falar com ELE. Peço por todos e tambem por aqueles de quem não gosto tanto.
Sei que Deus existe pela força que nos dá, pela beleza que todos os dias vemos à nossa volta.
Deus tambem existe na doença e na nossas limitações e é aqui que mais precisamos d!Ele.
Nas horas piores foi quando me senti mais perto de Deus como o melhor dos meus amigos.
Continuarei a pedir-Lhe:
Senhor aumenta a minha fé- amizade por Ti e em Ti e em todos os irmãos que creem em Ti.

Sam disse...

CODE RED CODE RED !! MAYDAY MAYDAY!

O PERVERTIDO VOLTOU !

BEIJO


e depois quero falar contigo...
beijo doce.

inespimentel disse...

Direitinho, venha de onde vier é um conforto poder contar com ela, certo?

inespimentel disse...

Sam já posso acreditar no pai Natal outra vez... trouxe-nos esta ganda "prenda" de volta...agora já sei onde vou "à catarse", ao blogue do vizinho!

Benvindo Sam, fazes-nos falta!

Bom fim de semana!

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...