terça-feira, setembro 18

Julho - uma / Agosto - zero

Eia, eia... ena pá... só agora caí em mim...
Andei mesmo por fora e só agora que aterrei é que me dou conta da dimensão da ausência...
nem sei como ainda há quem aqui venha espreitar; em Julho escrevi unzinho post em Agosto ... um deserto, nadica de nada!!! Passou mesmo assim tanto tempo????
Estou pasma, afinal sou mesmo daquelas de quem se fala, essas que viram as costas com leveza e descontração natural, arrancam e não olham para trás, como se não tivessem laços nem compromissos, como se não houversse amanhã! Das que quebram a rotina sem apelo nem agravo, doa a quem doer, porque afinal elas sabem que não dói a ninguém e quando há braços há abraços e sempre alguém com eles estendidos, para nos receber e dar as boas vindas!

1 comentário:

marta disse...

Quebrar as rotinas, doa a quem doer,

ser capaz e sabê-lo fazer, é fundamental, porque nos renovamos.

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...