sexta-feira, fevereiro 22

Catarse

O meu migalhas é um diário, uma viagem interior onde os gestos se repetem até ao enjoo...
Quando releio o que anteriormente escrevi, o que quase nunca faço, nos dias que correm, percebo que isto é mais de mim para cumim do que outra coisa!
Para aqui venho expôr o que penso, carpir os meus negros, arejar os meus mofos, sempre mais do mesmo, uma pescadinha de rabo na boca, um QUASE monólogo em que o eu, o meu e o mim andam de braços dados; não tenho só olhos para o meu umbigo mas é o que aqui parece!
E eu, e os meus pensamentos e as minha coisinhas de dentro e de fora!
O que me vale é a boa consciência e o prazer da prática da escrita em si: adoro escrever, tudo, cartas, textos, reclamações, propostas e projectos e aqui satisfaço esse gozo!
A minha vivida mãe, com a respeitosa idade de 90 anos, cheios de pedalada, adora ler-me, acho que é talvez por ela e a ela que devo estas migalhas!
Separam-nos 300 Km e encontrei esta forma de lhe fazer companhia; muitos destes textos que aqui posto são copiados, selados e voam para encurtar distâncias e enganar as saudades... ontem disse-me ela que tinha recebido mais uma carta e comentou, consolada, que "muito temos conversado as duas, nestes últimos tempos"!!!
Fiquei feliz, muito feliz... aqui, longe dela, recuperei o hábito das cartas, e o consolo desses pequenos encontros que nos aproximam.
Guardo dentro de um envelope as palavras que lhe quero dar, fazemos os nossos encontros possíveis e sentimo-nos bem porque damos a volta às saudades! De mim para ela, pois, do lado de lá, já todos os tesouros me foram dados.
As cartas caíram em desuso... para mim continuam a ser o registo de uma vontade, de uma ideia, do desejo de um encontro, único... insubstituível!
A quem disser que as cartas "já eram" eu respondo que nem elas nem os livros hão-de morrer!
Ter na mão um livro, sentir-lhe o cheiro e o peso, passar as folhas uma a uma, devorá-las ou saboreá-las ao ritmo que bem nos aprouver, depois poisá-lo ao nosso lado , fechado, cúmplices do que nos demos...
Assim também uma carta cumpre uma intenção... duma filha para uma mãe, carregá-la do mimo que merece, dar-lhe a certeza de que vive em nós por tudo o que de bom nos deu, sempre presente nos nossos afectos, nas nossas memórias!
Eu não saberia como resolver o meu mundo sem umas cartas aqui e outras ali... diferentes motivações sempre o mesmo formato... num A4 digo o que quero e penso, e por estranho que pareça é mesmo a minha medida, excepcionalmente sobra ou falta espaço!

3 comentários:

marta disse...

Desculpa não ter lido sequer o teu post,

mas agora não tenho tempo, mas gostava de saber,
tu não fazes anos hoje , ou é no Domingo?

Inês, fui tão mal amada, que sempre pensei até aos dezoito anos ser ou bastarda, ou adoptada.

Beijinhos minha querida e só espero que faças anos só no Domingo, para não estar a fazer figura de ursa por não te dar os parabéns desde já.

Venho cá logo à noite ler-te.

xistosa disse...

Antes do mais, não esqueça que eu levo a vida e a sombra, que vai sempre ao meu lado, pelo lado chistoso e burlesco.
Só assim é que nos esquecemos as agruras do dia a dia.

E comecei o post por isto, porque noutro dia, noutro "poiso", deixei um comentário e só depois de uma explicação do "palavreado que empreguei" é que se acendeu a luz.
Nunca pensei em tratar mal ninguém, mesmo que tivesse razão, quanto mais aqui neste espaço imenso, onde não nos conhecemos pessoalmente, só um esboço do nosso subconsciente.

Portanto, não leve a mal alguma postagem menos "apropriada".

Quanto à catarse, espero que não seja uma purga, tipo canónica, em que o acusado se justificava perante os poderosos eclesiásticos, que neste caso são os leitores.

Continue a escrever cartas.
Eu ainda sei que actualmente são 30 cêntimos, um selo.
Muitos não o saberão.
É que dentro do envelope, podemos enviar 20 g de amores, ou de pedras.

Será a pesagem exacta?

Bom fim de semana.

marta disse...

Minha querida, tarde e a más horas

PARABÉNS!!!

que tenhas tido um bom dia, é o que do fundo do coração te desejo.

Que o teu ano seja bom, do melhor até agora encontrado.

Beijinho grande, cheio de ternura.

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...