quarta-feira, dezembro 31

o que é nacional...

Estando o país em crise, custa-me que não sejam apresentadas medidas, ou sugestões para tentar inverter, em todos, e nos mais ínfimos pormenores, este "incontornável" processo!
Por exemplo, o produto nacional pode não ser o melhor, nem o mais em conta, mas sendo nacional deveria ser mais apoiado e consumido... isto é tão óbvio... estas dicas parecem migalhas, mas não são, podem até fazer muita diferença... só ouvi falar lá em casa, ao meu homem...

6 comentários:

Sam disse...

haaaa mas isso é comunismo!! Depois do 25 de Abril o povo tuga tinha dois caminhos : Socialismo ou Capitalismo...escolheu o Capitalismo agora olha, como dizem os Algarvios
Atira-te ao mar e diz que te empurraram !

Lê ou melhor ouve a música FMI do José Mario Branco...e vais ficar parva com o que ele lá diz! ( uma música se não engano escrita em 77 )


beijo doce doce amiga!

inespimentel disse...

Sam, eu nem uma coisa nem outra... enquanto a consciência de cada um não tiver juízo, não há governo que nos acuda!
Temos de sair desta idade da pedra espiritual em que a lei é a do mais forte e poderoso e a regra não olha a excepções... tudo para poucos, pouco para muitos... isto só muda quando cada um mudar... vai levar um tempinho, não achas, Sam...

claras manhãs disse...

Não vai demorar tanto tempo assim, minha querida
que isto dos anos a passar cada vez é mais rápido.
Eu, quase só consumo produtos nacionais
estou na aldeia e espero que os vão colher, para os comprar.
A excepção feita ao abacaxi

Bom Ano aos dois.
Nunca é demais desejá-lo

beijinho

Bartolomeu disse...

O teu homem lê com clareza os sinais.
Efectivamente ha coisas tão simples que se forem feitas com o verdadeiro espírito de sociedade e de comunidade (e não me estou a referir a correntes ideológicas ou partidárias) resultam infalívelmente em melhoria de diversas condições de vida. Tal como dizes, é absurdo quem governa este país, não entender essas soluções tão simples. Diz o Sam que após a revolução dos cravos surgiram duas vias politico-sociais para o povo de Portugal. Enveredou-se pela do socialísmo inicialmente, mas, sempre com o "olho" posto na do capitalísmo. Quando o nosso país foi aceite na União Europeia, actual Comunidade Europeia, saltou-se abruptamente da via socialista para a capitalista, mas em contra-mão. Este salto originou aqueles atropelos que se conheceram e que resultaram no "atascanço" onde hoje nos encontramos. Contudo e como se diz na aldeia da Clarinha ;) "Não ha bem que não acabe, nem mal que sempre dure"
E esse tal de capitalísmo, esgotou-se. Entrou em coma e estão agora uns senhores doutores a enfiar-lhe umas injecções de uma trampa qualquer, na esperança de o ressuscitarem.
Quando ele "o capitalismo" sucumbir de vez, vamos inequivocamente ver a realidade com a mesma nitidez que a vê o teu homem. Será a altura de reconstruir tudo de novo, tijolo a tijolo.
;)

direitinho disse...

Parabens pelo texto e pela sugestão
Tambem penso nessa capacidade de sermos nacionais e gostar do que de bom por cá se faz.
Sugeria ainda que obriguem todos os gestores que defraudaram o erário publico a pagar tudo até ao último centimo e com os respectivos juros.
Que todos os que meteram as mãos em proveito próprio nunca mais possam ocupar lugares de chefias. Deportem-nos a todos.

xistosa - (josé torres) disse...

Há coisas que os governos não controlam.
(porque não querem!!!)
Então os chineses compram-nos o nosso granito em bruto, transportam-no de barco, trabalham-no e entregam-no mais barato que o trabalhado por nós, porque a maioria está na mão dos espanhóis.
Os intermediários, OS SANGUESSUGAS DE TODOS!!!
Do produtor que tem que vender ao preço que lhe impõem, o consumidor que compra ao preço que o intermediário impõe.
Veja-se a negociata dos pinhões.
O preço no mercado internacional, não chega a 12 euros.
Depois tem impostos ... mas nunca para ser vendido ao preço do nosso a +|- 40 euros.

Em Espanha e por ser junto á fronteira, onde os produtos são mais caros, (para os ricos portugueses ...) era a 30 euros.

mas num mercado mais interior, comprava-se a 20 euros.
É claro que, comparados com os nossos, não prestam ... mas são pinhões.

Mas os nossos produtos, a maioria, até têm qualidade, mas o negócio entregue e poucos escrupulosos fulanos não vai longe.

Depois temos os "intermediários" que estão no governo.
Veja como resolveram o problema do BPP.
Uma instituição que só geria fortunas.
Faliu?
Prendam-se os responsáveis e os agiotas que queriam mundos e fundos, ficam com os fundos falsos esvaziados.

Dificilmente sairemos deste circulo vicioso de PS-PSD-PS-PSD ... amparam-se e defendem-se quando se trata de dinheiro.
Vejam a última do senhor Cadilhe, que veio para a televisão acusar tudo e todos, e que estava farto de "roubar" (legalmente???)

Bem, desejo-lhe um bom ano com saúde e a alegria que o apertar do cinto deixará para alguns ...

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...