terça-feira, fevereiro 3

Dois posts num só... será da crise???

A quem alguma vez duvidou posso agora afirmar sem margem para dúvidas:

-ESTAMOS NO INVERNO!

Guardo uma dor no meu coração, nada que eu possa modificar, portanto faço por aceitar o inevitável destino, com tudo o que tenho de racional!

Se dou asas às emoções, que ponho no olhar atento com que acompanho uma filha de Deus, irmã de sangue, que está a travar uma luta pela vida, desigual e dolorosa, partindo o coração a quem nada pode fazer... senão esperar o melhor e aceitar o pior, dizia que se me entrego, perco a razão e recuso-me a encarar esta realidade como um facto doloroso... mas natural!

Vou-me escapando à dor, e ao inverno, por entre os grossos pingos da chuva!

Atenção, isto é já outro POST
A EDP, que não quer que nada me falte, fez questão de, no último fim de semana, me esfregar nas horas um escuro que só visto... eu explico... faltou a electricidade no monte pelas 10 horas de domingo, e só se fez luz na segunda feira às 18 horas... até custa a acreditar.

Fiz inúmeros telefonemas, falei com a Ana Luisa, a Débora, a Susana e até a Marta, fora as outras... todas me davam previsões, nenhuma sabia que a história já vinha de outros capítulos e assim de previsão em previsão, apalpando o escuro e chamando a trifásica através de fios e mais fios vindos de cantinhos privilegiados do monte, lá se conseguiu salvar o miolo da arca congeladora! Foi o que se salvou pois a sensação de negritude em tudo à minha volta, essa persistiu.

Terça feira, à hora do almoço, tudo estava nos conformes... MAS, no regresso a casa, pelas 18, era já o escuro que me esperava de novo, hora após hora, pela noite dentro, arrastando a madrugada consigo e esperando a aurora para que luz se fizesse... só merdas que "matormentam", como desabafa o SAM!
É certo que, como se pode perceber pelos primeiros parágrafos do post, não é o escuro que me aflige, nesta passagem da minha vida... mas garanto-vos, não ajuda mesmo nada...
... se calhar mais logo... mais do mesmo...
... se ao menos da capital viesse uma luz, uma esperança, um momento de alívio...

4 comentários:

Sam disse...

ó meu amor, lamento a tua dor, e o meu coração está com o teu. Espero que tudo carra para bem.

quanto à falta de luz, ho pá, vou ter de ser sincero. Com uma faneka como tu no "monte" eu cá não ia fazer falta a electricidade!

lol, beijinho doce e terno!

inespimentel disse...

Obrigado Sam, sabes?, a faneca quando anda triste precisa de luz!
Mas mimos sempre ajudam...

claras manhãs disse...

espero que chegue luz da capital, por ser essa amis importante.

Mas faço-te companhia na falta de luz da EDP.
Comigo começou sábado às dez da noite e voltou no domingo ao meio-dia. Tive sorte
Mas continuo a chamar-me todos os palavrões que conheço. Ainda não comprei um petromax. BURRA que eu sou

xistosa - (josé torres) disse...

Pelo que leio e não me imiscuindo em assuntos que não acompanho mas que as palavras talvez revelem, vou tentar ver depois se tem e-mail.
Não tenho mézinhas nem milagres e não acredito em poderes que não se percebem à vista desarmada, mas que há plantas que curam ... dependendo ... lá isso há e eu sou testemunha de 4 casos.
Um deles até inexplicável.
Se não tiver e-mail e confiar, escreva-me.
Não lhe vou vender nada, nem mesmo dar.
Vou contar-lhe o que se passou em casos de morte iminente ou quase ...


Agora a falta de luz.
Talvez esteja a gastar demais e a EDP queira que poupe.
Bem sei que é á força, mas é para seu bem ...

Fiquei sem palavras.
A dor alheia transmite-se, talvez por isso estive na iminência de ser operado.
Mas este fim de semana andei com um aparelho, (ECG portátil)para ver se o relógio batia bem as horas, os quartos, as meias e os três quartos.
Gastei dois cartões e ontem soube que para já não necessito de intervenção cirúrgica.
Até houve sol no fim dum dia de chuva intensa ...

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...