segunda-feira, março 9

Courrier nº 159 / BONDADE

O Courrier internacional, julgo que a última edição, tem uns quantos títulos muito apelativos para quem quer alimentar uma "boa onda".
Senti-me confortada por ler nas palavras de outros verdades em que acredito convictamente!
Venha quem vier, com os argumentos mais científicos e irrefutáveis, tentar convencer-me do contrário, que eu nem argumento...
acredito no ser humano, no seu potencial, na sua evolução,
acredito que quando as condições são propícias o resultado não é mau,
acredito que o caminho é o da solidariedade;
E espero que esta sociedade competitiva e individualista, que viu a minha geração nascer, crescer, e ficar madura, tenha os dias contados
que esta crise seja sinal do seu declínio,
mas acredito AINDA que isto não é o fim do mundo, como muitos querem... ou precisam... ou são levados a acreditar...
É um mundo injusto e desequilibrado que não era sustentável, e que vai, muito lentamente cedendo o lugar a outro caminho, apontando outras prioridades, outros valores;
... e se calhar foi isso que vi espelhado no tal Courrier...
... na capa a palavra BONDADE, logo me seduziu... um jornal /revista, tão sério e de excelente qualidade, não costuma trazer mimos nas suas páginas, porque é actual e a actualidade é cinzenta... e fria... mas a vida tem destas surpresas!
PS óbvio que, nem toda a gente que lhe pega vê a mesma luz a apontar um caminho justo de homens bons, tal como eu vi... mas isso já não depende de mim...

2 comentários:

Sam disse...

E tenho é saudades da revista "Gina"...isso é qu'era!
lol
:)))
beijinho doce em ti!

xistosa - (josé torres) disse...

Na minha idade já não me preocupo se os que se seguem são mais ou menos solidários.
Mas não se esqueça disto: cada vez vai ser pior.
As novas gerações são mais egoístas ... mesmo que "botem faladura" para comover corações ... vai ver o que o futuro reserva e não vai demorar muito.

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...