segunda-feira, março 2

O desenlace

A nuvem negra e carregada desabou;
depois do dilúvio
ficou-me um silêncio calmo e triste
um vazio latejante...
um oco irremediável que só o passar do tempo e as suas migalhas tratarão de ocupar;
até lá, pouco é o que me anima...
... o canto dos pássaros
verdejante a primavera querendo protagonizar na paisagem
... o canto dos pássaros
no céu, sempre e ainda, as negras nuvens desabam invisíveis e indizíveis torturas que me atormentam o coração, as memórias...
Parte de mim resiste, não aceita, oferece resistência, aqui, onde a rejeição não tem lugar
nem cabimento ... mesmo assim quero dizer: - não!...NÃO!!!...
porque o meu sentimento é de negação!
Ninguém está preparado para ver partir os que ama.
Ninguém está preparado para ver sofrer os que ama.
Só, e apenas por isso grito no meu silêncio:
-Vá mana, deixamo-la partir, ...
o nosso amor não deve,
nem pode amarrá-la ao sofrimento!
Acreditamos, porque queremos, e conseguimos, que você está melhor agora,
e que teve uma vida boa,
e que lhe demos o que podemos, enquanto podemos
e que, agora, só nos resta desejar,
do fundo de cada célula viva que habita o universo,
que esteja bem,
para lá do sofrimento e da dôr,
tornada numa luz imensa,
e que essa luz sirva de berço à sua alma,
para que nela descanse agora em paz.
... até que os nossos desígnios se cruzem novamente
do outro lado do mistério
do outro lado da vida...

3 comentários:

vício disse...

olá Inês!
não vejo qual o problema em relação ao que falaste!
segundo entendi, referias-te aos links da barra lateral mas vi que estava lá registado que ele tinha publicado há 44 minutos e ao ir ao blog dele coincidia!
não podes dar muita atenção a essas coisas porque tem algumas condicionantes! pode haver problemas no servidor ou mesmo se o autor fizer alterações depois de publicar, o que vai ser mostrado não fica certo!

Sam disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
MATRIOSKA disse...

Migalhas
só agora soube que tinhas aqui este espaço.
Não pude estar com vocês nesse momento "em que as nuvens negras desabaram" e lamento-o profundamente. Gostaria de poder contactar contigo de outra forma que não esta.
Carmo Guerra

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...