quinta-feira, junho 14

Os homens e a guerra

As imagens que passam diáriamente nas notícias sobre a guerra deixam-me na posse de um dado incontornável: quem a faz são os homens; parecem meninos grandes, com meios desajustados ao seu desenvolvimento intelectual, ao seu estado de consciência; em corridas de esconde esconde, empunhando metralhadoras, vão disparando rajadas na direcção do "inimigo"... exterminam-se uns aos outros, para gáudio de certos senhores engravatados que, nos seus luxuosos gabinetes, pendurados em torres de espelhos, fazem contas aos milhões que vão acumulando, à conta do material bélico com que irmãos vão matando irmãos, em jogos de vida ou morte, que só param para as mesmas marionetes correrem a acudir aos que jazem ensanguentados por entre cadáveres... tudo entre corridas e urgências, ódios e acção, achas e fogueiras.
Certo é que as mulheres encerram em si violências incontáveis. Guardam em si ódios e recalques, invejas e complexos, mundos tortuosos capazes de explodir e desencadear agressividade e violência.
Não estou é a ver um exército de mulheres cheias de ódio a matar tudo o que mexe indiscriminadamente. Acredito que dentro de quase todas existe um respeito e amor pela vida dos seus semelhantes, um momento de reflexão mais profunda e humana, um colectivo mais pacífico, menos sangrento, mais contido, menos impulsivo, mais maternal e menos primário, capaz, num momento de decisões, de um maior desinteresse material em prol de melhores condições sociais para todos.
Acredito que, numa assembleia de mulheres, se dissessem inúmeros disparates, se falasse ao ritmo da emoção, se competisse e agisse por pouco louváveis motivações e interesses, mas acredito que, no momento das decisões, uma responsabilidade superior aos seus interesses e uma inteligência e sabedoria gerais, se sobreporiam a outros menos bons atributos, de um colectivo muito mais capaz de respeitar a vida por estar mais directamente implicado na sua origem. Digo eu.
Gostava, ponho nisso muita esperança, de ver as decisões verdadeiramente fundamentais, nas consciências e no poder de um colectivo feminino.

8 comentários:

marta disse...

Uaaau!Lindo post.!

Pelo menos pensavam 20 vvezes, antes de mandar o seu filho para a morte.

inespimentel disse...

Pensavam, não pensavam? Acredito que sim!

Anónimo disse...

Grande produção...essa cabecinha não para mesmo!!!Cá está a sensibilidade feminina a vir ao de cima!!concordo contigo mas...há mulheres e mulheres...muitas delas metidas nas guerras até á medula se não metidas...por trás de "grandes homens"!!
Bjs Guida

inespimentel disse...

Por isso falo do colectivo... passa por um senso comum do género... todas juntas ouvem a voz da razão e do coração.
Os homens todos juntos estimulam a violência no seu colectico, vê o futebol. Há mulheres muito histéricas, sim senhor, mas um estádio cheio delas todas capazes de andar à cadeirada por dá cá aquela palha?? Não me parece|Comenta, filha, comenta que eu gosto

Papoila disse...

Minha Querida!
Sabes, grandes mulheres desde sempre foram guerreiras... não penso que o gene da guerra esteja alojado no cromossoma Y... Eu não sou senhora da guerra mas há muitos homens que o não são... e as mulheres na luta pelo poder e pelo dinheiro podem ser piores que homens.
Beijos

Anónimo disse...

O teu texto levanta imensas questões para as quais muitos de nós procuram respostas. A resposta da paz, do amor ao próximo e do bem estar pessoal que só poderá existir num contexto de bem estar colectivo. O facto de ser ou não, a mulher o veículo da paz remete-me para o acto, a sensação, a capacidade única de experimentar o expoente máximo do amor, indescritivel tal como referes em outro texto mais à frente, ou seja sem palavras; Refiro-me à benção de gerar um ser dentro de nós próprias.
Guida M

Anónimo disse...

Inês nã0 pude deixar de c0mentar o fam0so blog, tão falad0 p0r ti e pela minha mãe...=)
est0u a tentar inserir-lhe o bichinho da Internet, a0s p0ucos farei progressos...(lol)

dep0is, quando tiver mais a "consciência da vida" farei um blog, igual ao teu e ao da mãe (se ela o tiver)... E clar0 q dep0is ambas o comentarão!!=D

Beijiinh0s da c0nstança...

marta disse...

Alôôôô!!!!

Estás bem?

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...