quarta-feira, janeiro 9

Nem sol nem chuva, nada...

Gosto dos dias assim; o ar carregado de humidade, embrulhado num suave cinzento que parece deixar a natureza suspensa em promessa de chuva, sempre adiada por um tímido clarear do céu de tempos em tempos;
Em dias assim gosto de pensar que a Natureza também precisa dos seus dias de repouso... o tempo parece parado, sem destino... como se não conseguisse decidir se abre uma nesga para o Sol passar , varre tudo numa imensa fúria, ou desaba em prantos imensos, rasgando o céu com efeitos de luz e som de arrepiar os mais medrosos.
Nós, suspensos neste impasse legítimo em que o tempo descansa dos excessos, num silêncio cúmplice aguardamos também o desenlace, como se dele dependesse o desenrolar dos nossos dias, os trilhos que calcorreamos, a direcção do nosso humor...
Gosto dos dias assim, em que nada se move e a natureza respira adormecida sem querer saber que rumo leva!
É em dias assim que todo o desequilíbrio parece desafinar e destoar duma harmonia quieta, em que só a contemplação parece a verdadeira resposta! Nem sol arrasador, nem frio de rachar, só assim... o tempo parado!
Gosto de, em dias assim, parar... suspensa... sem pensamentos nem acções, só a saborear esta existência que, apesar de tudo, nos vai ainda proporcionando momentos de beleza dignos de um minuto de silêncio!... ou mais, quem sabe...
Não me lembro já, mas deve ter sido num dia assim que cheguei a este mundo, fui bem recebida e agora quando o tempo pára sinto-me em casa!

3 comentários:

SE disse...

É bom poder parar por alguns segundos e ler qq coisa que nos transmita a calma de que estamos a precisar...adorei este post! Bjs grandes

Anónimo disse...

inspirado...tranquilizador... com a delicada leveza que nos alimenta. Obrigada por "este minuto" de silêncio. g.

marta disse...

Pois eu ontem passei uma tarde assim, frente ao rio, que só mexia porque subia amaré, e eu també ali suspensa, vendo só as tonaludades, de que se revestia aminha alma.

Bom, bom.
carreguei as baterias, para uma horível reunião, onde quase, quase descarregaram, não fosse eu a meio ter-me lembrado como tinha sido a minha tarde.

Uma maravilha


Beijinhos

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...