quinta-feira, outubro 23

ai

As vossas visitas mimam-me... e consolam-me


... ainda é cedo, oito e tal, vim espreitar... se vocês imaginassem quão negro é às vezes o meu estado de espírito, como me afundo e entristeço até ao âmago de cada célula... os braços pendidos, os olhos húmidos, o olhar vago, o coração a bater baixinho, devagar, pum... pum... pum... , sem convicção, como se antes parar...


A minha arte é renascer, encontrar novamente o sentido, a razão...

...volto mais tarde... evito escrever quando estou a meio de um naufrágio... prefiro deixar o meu olhar vago balançar nas ondas... entre pirolitos e braçadas ele encontra a praia...


P.S. estes dramas NÃO são dramas, são apenas compassos para encaixar "desaires", e outras maldades e injustiças com que somos premiados... por isso não se preocupem isto é somente um desabafo.

4 comentários:

inespimentel disse...

... ai tadinha, que mal que eu estava ontem!

claras manhãs disse...

Não, não são dramas, felizmente, mas doiem, magoam, que se fartam


beijinho grande, agora que quando chego já estás bem
Caraças, nunca estamos quando é preciso

inespimentel disse...

Que querida, MInuxa...,
Pensa de modo diverso... estamos sempre onde é preciso, sei onde ir encontrar a tua casa para lá deixar um pedaçinho de mim e tu igual... depois sabemos esperar no nosso canto que os outros nos deixem por lá os seus pedaçinhos que recolhemos e nos alimentam quando mais precisamos... estamos sempre lá...

xistosa - (josé torres) disse...

São os dramas, mas pouco dramáticos.
Quem renasce não morre e vive com mais força.
Eu não posso escrever a meio dum naufrágio, sei que meteria água e tinha problemas, mas por vezes apetece-me GRITAR!!!

As melhoras.

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...