sexta-feira, outubro 3

Os amigos da almofada

... já dormia...
Mas ainda são apenas 14.30... daqui até ao travesseiro vou ter de mostrar trabalho!
Sempre me causou estranheza a recusa que têm certas pessoas em entregar-se ao sono com prazer e alegria... alegria, sim senhor!
A convicção que têm de estar a perder tempo, a desperdiçar vida, fá-los resistir até ao último pingo de viglia, não se entregam nem por nada, acabam derrotados e amarfanhados, num sofá, abandonados pelos mais sensatos, ou comodistas, que já se recolheram ao conforto da cama (quem tem a sorte de a ter) assim que sentiram o primeirio apelo!
Dessa derrota no sofá resta a saída do despertar súbito, em sobressalto, a meio da noite, em som de fundo as televendas, ou quejandos, a casa muda, solitária, o torcicolo a lembrar-nos o braço de ferro que nos derrubou, ali, no sofá... há um par de horas, mais uma vez....
Caramba, irmãos, se somos diferentes... já eu preparo-me para esse momento do dia com alegria e até, algum entusiasmo!
Se não é bom, o momento de apagar a consciência, como quem apaga uma luz, a luz que deixa tudo iluminado, mesmo aquilo que não queremos ver, essa consciência que me faz sentir dentro de uma gaveta, ou uma casa, enfim um espaço, em que tudo depende da minha capacidade de organização, de método, de atenção e sensibilidade, esse espaço que levo os anos, a vida, a arrumar mas o trabalho por fazer pesa na balança levando sempre a melhor...
Ter na mão a chave para outro espaço, um espaço de sonho, em que as memórias navegam à vontade, em mares de sentimentos e emoções, tudo sem censura, sem lógica, de forma aliviada, embalados, à solta, fazendo todos os desvios e introduções de colagens misturadas, desarrumadas, caóticas, ao sabor do saber de nós para lá de nós!
Por uma vez esquivamo-nos, saímos, levados no sonho para um improviso em que dentro de nós tudo é convidado... excepto nós, tal como nos reconhecemos!!!
Caramba... isto pode ser uma aventura muito divertida, e repousante... ou não???

4 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

Gostei do momento de apagar a consciência.
É o que todos fazemos, todos os dias e nas mais variadas situações, mesmo que inconscientemente.
E esse adormecer no sofá ... andamos entorpecidos ... mas os que têm dinheiros nos bancos, não devem dormir.
A vida será um alvoroço, sabendo que confiaram em "altos gabaritos", principescamente pagos, para guardar os dinheiros e eles simplesmente dizem que não dinheiro e depois todos contribuímos ...
Ainda não percebi bem esta manobra, mas nem quero perceber, porque a responsabilidade, o honor é só de alguns ...

Mas falemos duma sesta ás 14.30 ... faz bem ... dizem os entendidos.
(eu se adormecer no sofá depois do almoço, fico com o dia estragado, nunca mais tenho vontade de fazer nada.)
Mas quem vive em paz tem que repousar a consciência.
Elencar o dia passado e o outro dia que vai surgir.
Se foi bom, então recordemos esses momentos, caso contrário, dá-se a volta à chave e fecham-se no baú dos caóticos.
Depois podemos tranquila e repousadamente dormir ...

inespimentel disse...

Pois é Xistosa, dormir é bom... no sofá, no inverno ou no verão e tb nas outras estações, 1 ou muitas horas, desde que quentinhos e confortáveis é muito apelativo... talvez quem viva muito activamente ou quem tenha problemas de má consciência nesta vida, tenha dificuldade em entregar-se áquele aparente vazio!
PS pois ... e esta crise está a tirar o sono a muitos, mas como o estado natural das minhas finanças é de permanente crise, nada de novo... por enquanto... aqui para as mminhas bandas!

claras manhãs disse...

Eiu então que sou um cu de sono, fico contente com a hora de ir para a cama
Há dias em que gostaria de lá me aninhar durante um ano, outros há em que 3 horas chegam e sobram.
Mas é sempre com alegria que chega o momento de pousar a cabeça e aninhar o corpo

Beijinho

inespimentel disse...

É bom a valer, não é Minuxa?

o que me faz feliz

o que me faz feliz
o meu mundo ao contrário

O meu Farol

O meu Farol

A bela foto

A bela foto
o descanço dos meus olhos

A minha cama na relva

A minha cama na relva

O meu Algarve

O meu Algarve

...enquanto uns trabalham...

...enquanto uns trabalham...